Arquivo | Notícias RSS feed for this section

Aula Especial de Ashtanga Vinyasana Yoga

16 maio

Aula Especial de Ashtanga Vinyasana Yoga com o prof. Yogindra Das (Zé Rangel, foto) no domingo, dia 5/06, no estúdio do Jd. Esplanada.

Programação

08:30 – 10:00 – aula guiada em sânscrito

10:00 – 10:30 –  lanche

10:30 – 11:00 – aspectos fundamentais do ashtanga

11:00 – 12:30 – estudo dos asanas da primeira série

12:30 – 13:00 – perguntas e respostas/encerramento

Investimento: R$ 80,00, ou R$ 50,00 até o dia 27/05.

Maiores informações e inscrições: (12) 9765-1079 – ashtangayogasjcampos@ig.com.br

B.K.S. Iyengar for PETA

17 abr

Conhecida pela determinação de seus militantes e pela agressividade de suas campanhas a PeTA tornou-se a ONG mais conhecida no mundo quando se fala em defesa dos animais. A combatividade explica-se, afinal, nunca antes na história os animais foram vítimas de tantos abusos e maus-tratos, encarados hoje como simples peças de uma engrenagem que não pode parar.

O brutal impacto no meio-ambiente e a degeneração no quadro de saúde de populações inteiras refletem um aspecto do abuso.  A dissociação ética presente na raiz da matança é o gene presente na violência desenfreada.

Aos 92 anos, o yogi B.K.S. Iyengar estrela do ultimo anúncio da PETA,  afirma:

“Se animais morressem para encher meu prato, minha cabeça e meu coração se tornariam pesados de tristeza. Tornar-se vegetariano é a maneira de viver em harmonia com os animais e com o planeta.”

Sara Dubois em São José dos Campos

19 fev

Algumas fotos do workshop de Sara Dubois em São José dos Campos, nos dias 26 e 27/02 .


 

 


No segundo semestre do ano passado, na cidade de Mysore – Índia, um pequeno grupo de professores de todos os lugares do mundo foi autorizado a ensinar a segunda série completa do Ashtanga Yoga por Sharath Jois. Sara Dubois estava entre eles.

Nascida na Suécia, Sara começou seus estudos com Jonh Scott, na Inglaterra. Foi assistente de Hamish Hendry no Asthanga Yoga London, com quem desenvolveu sua técnica de ajustes. Hoje, Sara mora e ensina Ashtanga Yoga em Atibaia, no interior de São Paulo.

Para maiores informações sobre Sara acesse aqui.

STC

27 nov

A Síndrome do Túnel Carpal (STC) é um problema comum no ambiente de trabalho e causa de enfermidade recorrente. Tem elevado potencial debilitante e impacto financeiro direto devido a afastamento do trabalho e aumento nos gastos com despesas médicas.

Tradicionalmente, STC vem sendo tratado com agentes antiinflamatórios, imobilização da articulação do punho, fisioterapia e cirurgia. Entretanto, muitas destas opções não têm oferecido alívio satisfatório. Yoga tem sido usado para aliviar alguns dos sintomas músculo-esqueléticos. O estudo aqui em parte resumido demonstrou aumento na amplitude de movimento e redução da dor durante a atividade em pacientes com osteoartrite que realizaram o programa de Yoga.

A prática de Yoga mostrou-se eficiente porque o alongamento na região afetada alivia a compressão no túnel carpal. Ao determinar uma melhor posição articular, os exercícios diminuem a compressão intermitente, aumentando o fluxo sanguíneo que reduz a isquemia do nervo medial. Neste artigo foram apresentados os resultados de uma intervenção usando o Modelo de Controle Aleatório (RTC) com técnicas de Yoga especificamente aplicadas para o tratamento de pacientes com Síndrome do Tunel Carpal.

O estudo foi realizado em 51 pacientes escolhidos a partir de um universo de 400 inscritos foi realizado na Geriatric Center of the University of Pennsylvania – PA. E aprovado pelo conselho da Presbyterian Medical Center, Philadelphia- PA e publicado em 22 de dezembro de 2009.

Os participantes da pesquisa foram divididos em dois grupos. O grupo de controle recebeu o tratamento tradicional, enquanto o grupo de Yoga recebeu uma intervenção baseada em posturas que objetivavam aumentar a flexibilidade e corrigir o alinhamento do membro superior e aumentar a percepção sobre a posição articular das mãos. O estudo usou a abordagem proposta por B.K.S Iyengar, mestre de hatha yoga que enfatiza o alinhamento estrutural do corpo. O método é ordenado e progressivo e as posturas foram adaptadas para atender as condições dos participantes. A partir de posturas de Yoga (ásanas), a postura habitual pode ser melhorada. Quando o alinhamento músculo-esquelético melhora, a habilidade para realizar o ásana também melhora. Os benefícios potenciais deste método incluem aumento da força, coordenação motora e flexibilidade. A seqüência usada neste estudo foi elaborada para atender indivíduos com STC. Os exercícios foram realizados com indivíduos na posição em pé ou sentados com o objetivo de levar as articulações envolvidas a sua maior amplitude de movimento, com alongamento, força e equilíbrio. Toda sessão terminou com uma sessão de relaxamento em que o corpo permaneceu imóvel (savasana). O programa foi ministrado em aulas com duração entre 1 e 1 ½ hora, duas vezes por semana por 8 semanas.

1. Dandasana. Sentado em uma cadeira, com o tronco na vertical, pressione as mãos contra o assento. Pressione as escápulas contra as costas e leve os ombros para trás e para baixo.

2. Namakar. Com as mãos em posição de prece, una e pressione os dedos das mãos, posicionando-os fora do alinhamento ulnar. Relaxe as mãos e repita o procedimento abrindo os dedos das mãos em leque. Repita pressionando os metacarpos de cada dedo e afastando os dedos das mãos em hiper-extensão.

3. Urdhva hastasana. Leve os braços para frente e para cima, com as mãos verticais e os cotovelos estendidos. Alongue as laterais do corpo.

4. Parvatasana. Braços extendidos sobre a cabeça, como os dedos entrelaçados com o polegar direito sobre o esquerdo. Vire as palmas das mãos para fora. Estique os cotovelos. Erga o tronco a partir dos braços e leve os braços para trás. Repita com o polegar esquerdo sobre o direito.
Jathara Parivartanasana

5. Garudasana. Braços entrelaçados em frente do tronco. Dobre seus cotovelos cruzando os braços em frente do peito, flexione os antebraços. Cruze o cotovelo esquerdo sobre o direito e afaste a mão esquerda, cruzando o antebraço esquerdo atrás do direito. Uma as palmas das mãos. Eleve os cotovelos e desça o ombros. Repita para o outro lado.
Garudasana

6. Baradvajasana na cadeira. Sente-se de lado na cadeira, com a coxa direita contra o encosto. Alongue o tronco para cima e os ombros para trás. Mantenha os joelhos unidos. Sem mover a bacia, vire-se para o encosto. Repita para o outro lado.
bharadvajasana

7. Tadasana. Em pé, com os maléolos internos unidos e o peso igualmente distribuído sobre os calcanhares internos e externos, erga as patelas. Suba o alto do peito e as clavículas.
Tadasana

8. Ardha Uttanasana. Em pé, com os calcanhares afastados, estenda os braços sobre a cabeça. Flexione o tronco em 90 graus, na altura do quadril e alongue todo o corpo em direção à parede tocando as mãos com a parede.
Ardha uttanasana

9. Virabhadrasana I (somente os braços). Em pé, estenda os braços com as palmas das mãos unidas. Gire os braços, fechando as axilas, mantendo os dedos das mãos unidos. Afaste as mãos, deixando os braços paralelos. Alongue as laterais do tronco e volte a unir as palmas das mãos. Trave os cotovelos.
Virabhadrasana I hands only

10. Salabhasana (variação). Ênfase na posição das mãos. Deitado em decúbito ventral, leve as palmas das mãos sobre o acento da cadeira. Estenda os braços e erga o peito, o quadril e os joelhos. Desça os ombros. Leve o cóccix para frente, mantendo os glúteos firmes. Alongue a parte anterior do tronco para cima, a partir do osso púbico. Erga o esterno e as costelas e pressione as escápulas para frente (veja comentário).
Salabhasana Variation

11. Paschima namaskar. Em pé, una as mãos atrás das costas com os dedos apontando para baixo. Vire os dedos das mãos para cima e suba as mãos entre as escápulas o mais alto possível, sem separar as mãos. Pressione o quinto dedo e a borda externa das mãos contra as costas e abra o peito. Ombros para trás e para baixo.
paschima namaskar

12. Relaxamento. Deite-se com as costas no chão e com os braços ligeiramente afastados do corpo. Palmas das mãos para cima. Calcanhares unidos e artelhos afastados. Feche os olhos, respire profundamente e concentre-se na expiração. Relaxe o maxilar inferior, a língua e os olhos. Fique nesta postura entre 10 a 15 minutos.

Os pacientes no grupo de Yoga tiveram significante acréscimo na força das mãos e redução na dor. Neste estudo, um programa sem o uso de remédios, equipamentos ou cirurgia, reduziu a dor e aumentou a força nas mãos dos pacientes. Ainda que não tenha sido estudado aqui, um programa supervisionado não é útil apenas para tratar os sintomas, mas também prevenir que os sintomas voltem a ocorrer. Muitos dos pacientes estudados relataram que apresentaram melhoras mesmo depois do fim do tratamento, durante as 4 semanas que se seguiram após o tratamento.

Confira estudo completo aqui.

Variações sobre Suryanamaskar

14 nov

Phillip Askew, instrutor de yoga, ao lado de Lydia Walker, ex-dançarina do School of American Ballet, apresentam “Variações sobre Suryanamaskar” como parte da Collaborative’s Fall Show no NY Center Studio, com improvisão do pianista Jonah Rank.

Vegetarianos São Mais Inteligentes.

29 ago

Uma pesquisa que examina a relação do QI com a dieta a qual uma pessoa é submetida entre os 10 e 30 anos de idade mostra que vegetarianos são, em média, 5 pontos mais inteligentes que onívoros (comem carne).

8.170 homens e mulheres foram avaliados pelos pesquisadores da Universidade de Southaptom, no Reino Unido e, ainda que os resultados sejam inequívocos, a razão da grande influência da dieta vegetariana no desenvolvimento da inteligência não foi explicada e continua sendo estudada.

Veja artigo na British Medical Journal

Comendo Animais

13 jun

Jonathan Safran Foer é um dos escritores norte-americanos mais festejados da atualidade. Seu estilo controverso e não convencional suscita constantemente respostas antagônicas e polarizadas em seus leitores. Logo em seu primeiro livro “Tudo se Ilumina” lançado em 2002 foi aclamado pela crítica especializada e pelo público em geral, vencendo o Guardian First Book Award e ganhando uma adaptação para o cinema em filme homônimo de Liev Schreiber.

Em sua primeira empreitada não ficcional, Safran Foer explora o que significa comer carne. Tão apaixonante e bem escrito quanto suas novelas, “Eating Animals” é uma trabalho levado a cabo com grande amor e dedicação.

“Alimentar meu filho não é como me alimentar: é mais importante. Importa mais porque alimento é importante (a saúde dele importa, o prazer que ele sente em comer importa), e porque as histórias que são servidas com a comida importam.”

Apesar de não ser um romance, sua leitura flui tão facilmente quanto a de uma novela. Safran Foer escreve com paixão e, mesmo sendo vegetariano, representa com isenção argumentos de todos os lados da questão, abordando aspectos econômicos, ambientais, de saúde e bem estar animal, além de debruçar-se sobre o ser humano atrás do animal. O livro não enaltece o estilo de vida vegetariano, mas pede pelo fim do modo de produção industrial na qual um ser senciente é submetido e brutalmente assassinado como se fosse matéria-prima inerte e desprovida de sentidos. Com a habilidade de grande escritor que é, Foer se coloca no meio de toda a controvérsia, sangue e pedaços de carne que acabam indo parar em nossa mesa.

Um coração tão grande quanto o mundo.

17 fev

Com lançamento previsto para Março, o novo CD de Krishna Das “Heart As Wide As The World” traduz toda a devoção contida nos kirtans aos ouvidos ocidentais. Há alguns samples no site da Amazon (link abaixo). Destaque para o kirtan Narayana, que associa uma batida trance ao estilo cântico-respota sem deixar a peteca cair. Não é a primeira incursão de Krishna Das à música eletrônica, que preserva as raízes do canto devocional indiano sem ceder aos maneirismos disseminados por Goa e que costumam soar tão falsos quanto samba japonês.

Reservas na Amazon, no link abaixo.

Amazon.com Widgets

Feliz Natal, Peru.

6 dez

O peru está tão associado ao Natal quanto o Papai Noel, e, em que se pese a semelhança física entre ambos (o que pode causar alguns sérios equívocos), um deles certamente não escolheu estar em nossa casa durante as festas de fim-de-ano.

Seres sencientes são aqueles que sentem, que percebem e recebem impressões. Com certeza podemos tomar esta definição do Houaiss e aplicá-la indistintamente a qualquer peru entre o céu e a terra, mas quantas ressalvas teríamos que adotar para empregar o mesmo conceito aos homens? Isto posto, é bom que se diga, não queremos que ninguém termine este fim-de-ano no lugar do peru, em cima de uma bandeja, assado ao ponto, cercado de rodelas de abacaxi e laranja. O homem, afinal, tem provado no decorrer da história, ainda que tardiamente e ao custo de muita tolice, alguma evolução ética e de respeito ao próximo. Já ao peru, coitado, criado intensivamente e morto precocemente, não foi dada esta alternativa.

Na natureza, o peru vive em média 10 anos, mas é criado intensivamente em escala industrial, engordado artificialmente e morto em, no máximo, 26 semanas. Em tão pouco tempo de vida, o peru não tem tempo hábil para se organizar e negociar salvaguardas do tipo “somente peru violento deve ir ao forno“ ou “peru aposentado, peru assado.” A prerrogativa de escolher, julgar e executar coube a nós, seres conscientes, e a responsabilidade final pelos nossos atos acabaram indo parar nas mãos do divino e no colo das gerações futuras.

Ser consciente não significa apenas ter percepção do que ocorre dentro de si próprio, mas também contar com algum grau de objetividade sobre o que se passa em torno de si. Se não dominamos nossa capacidade de perceber, pensar ou agir; se excluímos nossa fração de responsabilidade do todo, não somos merecedores da alcunha de seres conscientes e, consequentemente, não somos legítimos signatários do gênero humano.

Ser humano é uma condição única na natureza na qual a própria vida se reflete, tornando possível certa autonomia sobre os impulsos mais primitivos. Assim, exercitar a reflexão liberta-nos, à medida que não fazê-lo aprisiona-nos.

Em todos aqueles que andam sobre a terra ou movem-se no ar, em todas as criaturas vivas ou inanimadas, reconheça Brahma.” Gheranda Samhita.

Boas Festas,

Namaste,

Franca & João

Lançado DVD Enlighten UP!

11 nov

DVD do imperdível Enlighten UP! lançado agora nos EUA. Segue abaixo dicas de outros DVD´s para você colocar no pacote.

Amazon.com Widgets