Arquivo | Notícias RSS feed for this section

De Leonardo Boff: “Vivemos tempos de Noé”.

26 abr

leonardo-boff1

Vivemos tempos de Noé. Pressintindo que viria um dilúvio, o velho Noé convocava as pessoas para mudarem de vida. Mas ninguém o ouvia. A contrário, “comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento até que veio o dilúvio e os fez perecer a todos”(Lc 17,27; Gn 6-9).

Os 2000 cientistas do IPCC que estudam o clima da Terra são nossos Noés atuais. O terceiro e último relatório de 13/4/2014 contem grave alerta: temos apenas 15 anos para impedir a ultrapassagem de 2 graus C do clima da Terra. Se ultrapassar, conheceremos algo do dilúvio. Ninguém dos 196 chefes de Estado disse qualquer palavra. A grande maioria continua a explorar os bens naturais, negociando, especulando e consumindo sem parar como nos dias de Noé.

Entrevejo três graves irresponsabilidades: a geral e a específica e supina ignorância do Congresso norte-americano que vetou todas as medidas contra o aquecimento global; a manifesta má vontade da maioria dos chefes de Estado; e a falta de criatividade para montar as traves de uma possivel Arca salvadora. Como um louco numa sociedade de “sábios” ouso propor algumas premissas. Se algum mérito possuirem, é o de apontarem para um novo paradigma civilizacional que nos poderá dar outro rumo à história. Ei-las:

1. Completar a razão instrumental-analítica-científica dominante com a inteligência emocional ou cordial. Sem esta não nos comovemos face à devastação da natureza e não nos engajamos para resgatá-la e salvá-la.

2. Passar da simples compreensão de Terra como armazém de recursos para a visão da Terra viva, superorganismo vivo que se autoregula, chamado Gaia.

3. Entender que, como humanos, somos aquela porção da Terra que sente, pensa e ama, cuja missão é cuidar da natureza.

4. Passar do paradigma da conquista/dominação ainda vigente, para o paradigna do cuidado/responsabiidade.

5.Entender que a sustentabilidade só será garantida se respeitarmos os direitos da natureza e da Mãe Terra.

6. Articular o contrato natural feito com a natureza que supõe a reciprocidade inexistente com o contrato social que supõe a colaboração e          inclusão de todos, insuficiente.

7. Não existe meio-ambiente mas o ambiente inteiro. O que existe é a comunidade de vida com o mesmo código genético de base,estabelecendo um parentesco entre todos.

8.Abandonar a obsessão pelo crescimento/ desenvolvimento pela redistribuição da riqueza já acumulada.

9.Devemos produzir para atender demandas humanas mas sempre dentro dos limites da Terra e de cada ecossistema.

10.Pôr sob controle a voracidade produtivista e a concorrência sem limites em favor da cooperação e da solidariedade pois todos dependemos uns dos outros.

11.Superar o individualismo pela colaboração entre todos, pois esta é a lógica suprema do processo de evolução.

12. O bem comum humano e natural tem primazia sobre o bem comum particular e corporativo.

13.Passar da ética utilitarista e eficientista para a ética do cuidado e da responsabilidade.

14.Passar do consumismo individualista para a sobriedade compartida. O que nos sobra, falta aos demais.

15. Passar da maximização do crescimento para a otimização da prosperidade a partir dos mais necessitados.

16. Ao invés de permanentemente modernizar, ecologizar todos os saberes e processos produtivos visando tutelar os bens e serviços naturais e dar descanço à natureza e à Terra.

17. Opor   à era do antropoceno que faz do ser humano uma força geofísica destrutiva, pela era ecozóica que ecologiza e inclui todos os seres no grande sistema terrenal e cósmico.

18. Valorizar o capital humano/espiritual inexaurível sobre o capital material exaurível porque o primeiro fornece os critérios para as intervenções responsáveis na natureza e alimenta permanentemente os valores humano-espirituais da solidariedade, do cuidado, do amor e da compaixão, bases para uma sociedade com justiça, equidade e respeito à natureza.

19.Contra a decepção e a depressão provocadas pelas promessas não cumpridas de bem-estar geral feitas pela cultura do capital, alimentar o princípio-esperança, fonte de fantasia criadora, de novas idéias e de utopias viáveis.

20. Crer e testemunhar que, no fim de tudo, o bem triunfará sobre a mal, a verdade sobre a mentira e o amor sobre a indiferença. Um pouco de luz poderá espancar uma imensidão de trevas.

[original em: http://leonardoboff.wordpress.com/2014/04/25/vivemos-tempos-de-noe/]

30 mil

2 ago

New Picture

“Criação é o que nos coloca ao lado do criador”

Bhagawan Das

Nosso canal no Youtube acaba de ultrapassar a marca de 30 mil exibições. Não é uma marca expressiva no universo Youtube, mas ao mesmo tempo é inacreditável que vídeos sobre um tema tão pontual e específico, gravados de maneira tão tosca, tenha despertado o interesse de tanta gente.

Os vídeos são, antes de mais nada, o resultado de nossa busca incessante por novas possibilidades, releituras contínuas de nossa prática, pequenos retalhos arrancados do contexto maior onde os clipes encontram-se amarrados: as aulas.

Aproveitamos esta marca, a dos 30 mil views, para agradecer aos nossos mestres que contribuem muito para nossos estudos e, sobretudo, aos amigos e alunos que são a fonte de inspiração primeira de toda nossa busca.

Valeu!

Franca & João.

Pilates com Júnia Rodrigues

3 jul

Júnia (2)

Em Agosto, a profa. Junia Rodrigues passará a ministrar aulas de Pilates aqui no estúdio de Yoga e Pilates. Graduada em Educação Física pela Unicamp, Junia formou-se em Pilates pela Physicalmind Institute de Nova York, escola de Eva Gendry – senior teacher que trabalhou ao lado de Joseph Pilates durante 22 anos.

Dentro de uma abordagem global, que busca integrar corpo e mente à intensa prática de Pilates solo, as aulas com Junia acontecerão às terças e quintas das 8:00 às 9:00 no estúdio da R. Carlos Chagas, 122, Jardim Esplanada em São José dos Campos.

Aula inaugural no sábado, 03 de agosto, das 9:00 às 10:00 da manhã. Inscreva-se aqui.

Muito Além do Peso

28 fev

“Um filme obrigatório para qualquer pessoa que se importe com a saúde das nossas crianças” Jamie Oliver

Pela primeira vez na história da raça humana, crianças apresentam sintomas de doenças de adultos. Problemas de coração, respiração, depressão e diabetes tipo 2. O documentário “Muito Além do Peso” de Estela Renner, discute por que 33% das crianças brasileiras pesam mais do que deviam. As respostas envolvem a indústria, o governo, os pais, as escolas e a publicidade. Com histórias reais e alarmantes, o filme promove uma discussão sobre a obesidade infantil no Brasil e no mundo. Filme disponibilizado na íntegra pelos seus produtores: http://www.muitoalemdopeso.com.br/

Novos Horários. Nova Proposta.

3 jun

Segundas e quartas, das 7:30 às 9:00. Dois novos horários e uma nova proposta.

Diferente das aulas regulares, nestas turmas o aluno realiza uma série de yoga específica, com aproximadamente 1:30 hora de duração.

Durante estas aulas, são realizados os ajustes posturais necessários e propostas novas posturas de yoga, de acordo com a necessidade e desenvolvimento de cada aluno.

O aluno poderá chegar ao estúdio em qualquer momento durante a aula para realizar sua série.

Esperamos assim atender aos interessados que, devido a vários fatores, não podem ingressar nas turmas regulares e, ao mesmo tempo, respeitar uma premissa de yogacharya B.K.S. Iyengar para quem “todos tem corpos diferentes, diferentes fraquezas e forças. O Yoga é para todos.”

Agende uma aula aqui.

Ashtanga Yoga em Caraguatatuba.

15 maio

É com grande prazer que convido a todos para participarem do nosso workshop de ashtanga em Caraguatatuba, a ser ministrado por mim, com o inestimável apoio da nossa amiga Lye Otani, que nos cedeu sua casa para realizarmos nossas práticas e nos hospedarmos.

A idéia central desse workshop é passarmos um tempo juntos, praticando Ashtanga Yoga, cozinhando juntos e nos conhecendo melhor.

O workshop ocorrerá nos dia 07, 08 e 09 de junho, com a seguinte programação.

07 de junho (quinta)

08:00 – aula mysore

11:00 – aula técnica

18:00 – aula do Bhagavad Gita

08 de junho (sexta)

7:30 – aula mysore

10:00 – princípios do Ashtanga Vinyasa Yoga

18:00 – aula do Bhagavad Gita

09 de junho (sábado)

7:30 – aula mysore

10:00 – perguntas e respostas

Sairemos de São José na quinta bem cedo para chegarmos direto para a prática. Portanto peço que cada um dos participantes leve alguma preparação para compartilharmos no nosso café da manhã. Se possível vamos lotar os carros para dividirmos o valor do combustível.

Amigos e familiares, ainda que marinheiros de primeira viagem no ashtanga, são bem vindos. Convide-os.

O valor do workshop para os três dias é de R$ 120,00, ou R$ 40,00 por dia, para aqueles que não puderem ficar todos os dias.

Como já disse, iremos nos hospedar na casa da Lye, que acolhe bem 10 pessoas. Portanto, não deixem a inscrição para última hora.

Nossas refeições em casa serão compartilhadas e rateados os custos. Comecem a separar as receitas dos quitutes!

Bem, é isso aí pessoal. Espero contar com a presença de todos.

Qualquer dúvida entrem em contato: ashtangayogasjcampos@ig.com.br

Yogindra Das

Yoga Has to Progress!

13 abr

Diferente de outras entrevistas “chapa branca” concedidas por BKS Iyengar, esta expõe alguns pontos que norteiam seu método e a razão que o motivou a trilhar um caminho específico dentro da prática e do ensino de yoga, o que acabou por diferenciá-lo radicalmente dos demais professores.

Entrevista integral com quase 20 minutos de duração, concedida por BKS Iyengar, na época aos 90 anos, para o documentário “Enlighten Up” de 2008.

Maha aula com Sara Dubois.

19 out

Sarah Dubois em Kala Bhairavasana.

Aluna de Sharath Jois, Sara Dubois estará de volta a São José dos Campos para ministrar um aulão no sábado, 29/10, das 9:00 às 12:00, no espaço da R. Paschoal Moreira.

Nascida na Suécia, Sara começou seus estudos com Jonh Scott, na Inglaterra. Foi assistente de Hamish Hendry no Asthanga Yoga London, com quem desenvolveu sua técnica de ajustes. Hoje, Sara é professora certificada internacionalmente para ensinar a 2ª série de Ashtanga Yoga.

Confira as fotos do último aulão.

O valor do aulão é R$ 80,00. As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas diretamente com o Zé (Yogindra Das) pelo e-mail: ashtangayogasjcampos@ig.com.br

Sara Dubois ensina regularmente ashtanga yoga em seu estúdio em Atibaia.

Coreografia da Pedra

1 out

Capa da revista A1, por Dave Mckean

“Em um ponto fixo de um mundo em movimento. Não há carne nem alma;

Não há para onde ir nem de onde vir; em um ponto fixo a dança existe,

Nem descanso ou movimento. E não chame fixo de inflexível,

Onde o passado e o futuro se encontram. Nem avanço ou retrocesso,

Nem ascensão ou declínio. Se não fosse pelo ponto, o ponto fixo,

Não haveria dança, e só há dança.”

Four Quartets, excerto da Burnt Norton, T.S. Eliot.

Equilíbrio denota um ponto imóvel, que não oscila e jaz estável,  resultante de forças que se anulam. Desequilíbrio assinala o movimento, aponta o colapso da harmonia e a organização do caos, anuncia o por vir e expressa o ímpeto da existência.

O equilíbrio é uma abstração do olhar e serve à inteligência, saciando nossa compulsão por organizar o mundo. Ângulos retos, contornos definidos, linhas paralelas, círculos concêntricos, nada disso relaciona-se com o real ou diz respeito acerca da natureza das coisas, serve apenas à simplificação, separação e captura da vida para posterior análise.

Apenas um mundo absolutamente inócuo, estéril e asséptico poderia ser traduzido matematicamente pelas leis que governam as partículas e os campos de força. A realidade é imprecisa, é indômita, é areia que nos escapa entre os dedos das mãos quanto mais cerramos os punhos. A concepção científica de mundo é indispensável para livrar-nos da ilusão do subjetivismo e democratizar o conhecimento, mas não esgota a realidade e deve conservar seu status de teoria.

A Suíte para violoncelo de Bach, por exemplo, pode ser descrita pelo comportamento típico de ondas mecânicas, mas a descrição do comportamento das ondas nunca poderá expressar a emoção que dá vida à Suíte. É nosso corpo, enfim, o receptáculo que capta os sinais do meio, liga os pontos, e confere a dimensão do real a tudo o que existe.

Kazuo Ohno – The Written Face

Determinados pelo corpo no espaço, não dispomos de visão panorâmica sobre as coisas. Esta é nossa sina: instaurados na mesma dimensão de tudo que enxergamos, não nos resta saída além de lançar mão da lógica, do método, do bisturi e da pinça a fim de nos aproximarmos do real.

Tomar o abstrato pelo concreto, a ilusão pelo real, a linha reta pelo horizonte, entretanto, é expressão de nossa prepotência e nada tem a ver com ciência. Emboscar o corpo no plano cartesiano na tentativa de entendê-lo extirpa-lhe precisamente aquilo que lhe dá vida: a emoção. Avaliar o corpo em tais circunstâncias nos ensina muito a respeito do cadáver e muito pouco a respeito do corpo vivo em movimento.

Grid chart para análise e diagnóstico postural

Em laboratório, excluímos o desvio em torno da média e descartamos na cuba informações indispensáveis ao entendimento do todo. Esquecemos, sobretudo, que o corpo não é um organismo extrínseco a ser possuído, dominado e corrigido.

Não temos um corpo, somos um corpo.

Na aparente imobilidade de uma postura de yoga, por exemplo, o corpo responde sempre de maneira assertiva e a validade da resposta dependerá da própria capacidade em integrar e alinhar suas dimensões estruturais e emocionais.

Sequências de Eadweard Muybridge, em The Human and Animal Locomotion Photographs. 

Como um único fotograma extraído de um filme, o ásana alia o movimento da vida à imobilidade tão cara a nosso olhar analítico, expondo como o organismo vivo se relaciona com o espaço.

Neste contexto, o corpo não apresenta ‘problemas’, mas ‘soluções’ para os problemas que se lhe apresentam. O praticante de yoga, alijado pela ficção do eu-dividido, reconstrói-se em busca da unidade.

Purushatraya Swami em São José e canto Kirtan

15 jul

Em agosto teremos o privilégio de receber Purushatraya Swami em São José dos Campos para o seminário “Baghavad Gita em 6 temas”. Docente do Vaishnava Institute, Vrindavna- Índia, Purushtraya irá abordar aspectos históricos, filosóficos, psicológicos, éticos e místicos do livro Baghavad Gita, um texto ancestral que aponta incisivamente para as questões éticas e morais do homem contemporâneo.

Para abrir o ciclo de palestras, o grupo de Nova Gokula irá entoar Kirtans (cantos sagrados) na sexta-feira, 5 de agosto das 19:30 às 21:00.

O seminário irá acontecer nos dias 6 e 7 de agosto, no Estúdio de Yoga e Pilates de São José dos Campos, e será dividido em 3 módulos:

  • Sexta-feira, 05/08, das 19:30 às 21:00 Canto Kirtan e Dança Indiana
  • Sábado, 06/08, das 9:00 às 12:00 Seminário Módulo I
  • Sábado, 06/08, das 14:00 às 17:00 Seminário Módulo II
  • Domingo, 07/08, das 9:00 às 12:00 Seminário Módulo III
No sábado, dia 06/08, os participantes do seminário poderão almoçar no restaurante Krishna Comida Indiana ao preço promocional de R$ 20,00 por pessoa (bebidas inclusas). A renda será doada à comunidade auto-sustentável de Goura Vindravna, em Paraty.

Valores:

R$ 60,00 até 01 de agosto; R$ 100,00 após esta data. O valor inclui apostila.

Inscreva-se:

Para maiores detalhes entre em contato conosco aqui ou ligue para (12) 3317-1851 ou (12) 9765-1079

%d blogueiros gostam disto: