Pelve: Alicerce Dinâmico.

25 out

Pelvis II by Georgia O'Keeffe.

Pelvis II by Georgia O’Keeffe

A cintura pélvica alicerça a coluna vertebral e transmite a resistência do chão ao tronco, influenciando o movimento e a postura.

A intrincada rede ligamentar que enreda a pelve não deixa muito espaço para suas articulações. Ainda assim, o pouco movimento disponível é fundamental para dissipar as forças e tensões que atravessam a região.  A dicotomia entre imobilidade e movimento revela a singularidade de sua anatomia.

ligaments pelvis

Estruturas ligamentares em torno da Pelve. 

 O significado teleológico da pelve aprova que um anel estático, ósseo, no mesmo local iria romper-se facilmente pelo estresse mecânico na região.  De modo restrito, a pelve permite que as forças rotacionais impostas pelos membros inferiores ascendam à coluna, mas impede o movimento excessivo, o que prejudicaria o equilíbrio do corpo.

Assim, a pelve não protagoniza movimento, limitando-se a acompanhar e reduzir os deslocamentos dos segmentos adjacentes.

Kapandji III 65

Ilustração Kapandji. Vetores de peso (P) e resistência (R) na pelve.

Esse link dinâmico entre pernas e tronco participa de um genuíno “cabo-de-guerra” durante a prática de Yoga ou Pilates. Em lados opostos, coluna vertebral e quadris disputam a primazia pela postura final. Essa tensão deve ser continuamente considerada durante os exercícios.

cabo de guerra

Ilustração Blandine Calais-Germain. Linhas de tensão na pelve em flexão. 

Durante a prática, a transmissão da força através da pelve torna possível a aquisição de ganhos posturais a partir do torque proveniente dos membros inferiores.

Ao girar as coxas para dentro, por exemplo, os ligamentos posteriores do quadril são colocados sob tensão, provocando a abertura dos ísquios e nutação do osso sacro, favorecendo a lordose lombar. Temos, portanto, uma lordose adventícia, pois constituída a partir das coxas, que impede a coluna de ‘pagar o preço’ pela eventual falta de flexibilidade nos quadris.  A flexão, neste caso, tenderá a favor dos quadris .

Uttanasana_0001Uttanasana. Giro para dentro das coxas (RI de MMII) alinha sacro-lombar na flexão dos quadris.

Ao girar as coxas para fora ocorrerá o contrário, os ligamentos posteriores do quadril estarão relaxados, permitindo a aproximação dos ísquios, e a flexão tenderá a favor da coluna.

Franca grávida da Prya-18Upavishta Konasana. Giro para fora das coxas leva a pelve para trás dos quadris e  favorece a abertura da cintura pélvica, ação  fundamental durante a gestação.

Esse pequeno excerto mostra que uma abordagem não deve ser dogmaticamente adotada em detrimento de outra. O moto por trás da ação deve estar tão claro quanto a própria ação a ser realizada. Critérios ‘one size fits all’ não servem em absoluto.

Sobre o anel pélvico, ainda é preciso considerar as acentuadas diferenças individuais  colocadas além do gênero e idade. A consolidação lenta de suas partes acaba por sujeitar sua forma final às forças presentes em seu desenvolvimento, incorporando fatores secundários importantes como tônus muscular, estatura e movimento.

differ pevis

Tipos diferentes de Pelve.

Em comum, a pouca mobilidade na região favorece a proteção em detrimento da acomodação dos órgãos que abriga e alterações mínimas na região desencadearão consequencias relevantes. Quando o osso ilíaco é forçado a rodar para trás, o osso sacro é impedido de acompanhá-lo pela coluna, assim o períneo é tensionado. A pressão abdominal sobre a bexiga, útero e reto aumenta.

Negligenciar ou privilegiar um ou mais destes aspectos pode por em risco a saúde de todas as estruturas envolvidas. O resultado final deve buscar um saudável  ‘zero-a-zero’.

Anúncios

Uma resposta to “Pelve: Alicerce Dinâmico.”

Trackbacks/Pingbacks

  1. A Boa Prática | Estudio de Yoga & Pilates - 29 de março de 2016

    […] Antes de nos aprofundarmos um pouco mais nesta postura é preciso lembrar que o “osso da bacia”, a pelve, assim como o “osso da coxa”, o fêmur, sofrem grande variabilidade anatômica – assunto já tratado por nós aqui. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s