Prática

Yoga no Frio

Com a chegada do inverno você provavelmente venderia sua alma para praticar Yoga com meias, luvas, cachecol e um gorro de lã. Bom, excetuando-se o gorro de lã, o resto deve ser limado de seu vestiário durante sua prática de Yoga. O corpo precisa desfrutar de grande mobilidade articular para realizar os ásanas e a sensibilidade nas mãos e pés é fundamental para a qualidade de sua prática. A sensação de congelamento das extremidades do corpo e enrijecimento das articulações têm suas causas.

O nosso corpo trabalha intensamente para manter nossa temperatura corporal em torno de 36,5ºC independente das condições externas. As alterações sofridas em em nosso metabolismo tem por objetivo manter a temperatura de nosso corpo nesse patamar.

Quando está frio, podemos dizer que a musculatura se contrai para gerar calor e manter a temperatura corporal. A contração muscular faz com que o músculos entrem em estado de tensão permanente, modificando o comprimento normal de suas fibras. Como conseqüência ocorre a constricção dos vasos sanguíneos causano deficiências no suporte sanguíneo e linfático aumentando a sensação de dor. O corpo também passa a ter maior dificuldade para fazer certos movimentos, repercutindo em alterações posturais globais.

Já nas articulações, o líqüido sinuvial -responsável pela nutrição e lubrificação das articulações- também se torna mais espesso com a queda na temperatura, o que pode prejudicar os movimentos e gerar incômodos.

Nas pessoas com idade mais avançada, as dores do inverno aparecem com mais intensidade. O idoso tem os músculos mais enfraquecidos e encurtados. Além disso, as articulações são menos lubrificadas devido à diminuição da circulação periférica, que vai irrigar áreas mais profundas na tentativa de montar o equilíbrio da temperatura constante. Artrite (a destruição progressiva dos tecidos que compõem as articulações) e artrose (uma inflamação articular persistente), são doenças comuns na terceira idade, que se agravam com a chegada do frio. Pelas próprias características fisiopatológicas das doenças em questão, onde já existem comprometimentos musculares e articulares, somado à reações fisiológicas do corpo à baixa temperatura, há um exacerbamento do limiar álgico, ou seja, um aumento da percepção cerebral da dor.

Para prevenir as dores e diminuir os sintomas existentes é recomendável utilizar roupas quentes antes e durante o relaxamento final, protegendo principalmente as extremidades do corpo. Chegar atrasado nas aulas nem pensar: as aulas de Yoga e Pilates passam a contar com um maior tempo de aquecimento e eventuais rotinas para aumentar a temperatura do corpo.