Yoga na TPM: Para ela e para ele.

1 ago

Durante o período menstrual, índias de tribos amazônicas permanecem afastadas dos afazeres cotidianos, abrigadas em ocas separadas da tribo e de onde saem apenas para tomar banho de rio. O que pode parecer sexismo ou simples discriminação aos nossos olhos, na realidade destas tribos é respeito à natureza da mulher e entendimento sobre a particularidade do momento para ela e toda a tribo.

Distante do Amazonas e do lado de cá do monitor, alterações hormonais combinadas a fatores psicológicos, genéticos, nutricionais e comportamentais resultam em mais de 150 sintomas que se manifestam de formas tão diferentes quanto depressão, amnésia, dores lombares e insônia. Se carregar essa fartura de sintomas todos os meses não é fácil para as mulheres, também não costuma ser para quem gravita ao seu redor.

Primeiramente, a prática regular de Yoga atenua os sintomas da TPM ao submeter as respostas do sistema nervoso, que passam por uma verdadeira tempestade durante essa época do mês, a auto-análise. Quem está acostumado a observar o próprio corpo durante a prática de Yoga não sentirá dificuldade em guardar distância frente às mudanças decorrentes das alterações hormonais neste período e terá melhores condições de administrá-las durante os momentos de crise. Esse entendimento vale tanto para ela quanto para ele.

Não faz muito tempo ficou provado que a TPM não resulta apenas de alterações hormonais (1998, New England Journal of Medicine), mas a uma resposta incomum a alterações dos níveis hormonais que levam em consideração stress, hipoglicemia, deficiência nos níveis de vitamina B6 e endorphina, dentre outros.

Os fatores físicos não devem ser desprezados e algumas posturas de Yoga que enfocam a região pélvica e abdominal como Supta Badakonasana e Sethu-bandha Sarvangasana, por exemplo, aumentam o fluxo sanguíneo na região uterina e regulam o fluxo menstrual sem por em risco a saúde da mulher.

As torções realizam a compressão mecânica das vértebras e seus discos, eliminando as tensões acumuladas nos forames intervertebrais, promovendo maior irrigação das raízes nervosas, o que é benéfico tanto como suprimento de oxigênio e suprimentos energéticos quanto para eliminar os resultantes tóxicos do funcionamento corporal, como ácidos e gás carbônico. Posturas como Marychiasana estimulam o sistema nervoso são ótimas para se iniciar uma série.

Junto à prática de ásanas, os exercícios respiratórios (pranayamas) são excelentes aliados para atenuar os sintomas da TPM. A respiração consciente dos pranayamas acentuam os estímulos parasintáticos do Sistema Nervoso acalmando e reduzindo o medo e ansiedade.

O maior controle sobre os impulsos e o aprimoramento da capacidade de observação, percepção corporal e auto-análise decorrentes da prática regular de Yoga contribuem não apenas para quem carrega os sintomas da TPM, mas também para quem está ao seu lado e que passa a desfrutar de uma maior consciência de suas reações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s