Iyengar Yoga

Quem começa a praticar Yoga dentro do método Iyengar, sente na pele – nos ossos e músculos também – o significado ancestral e profundo do Yoga.

Não é simples falar sobre a prática de Iyengar Yoga, mesmo porque se fosse fácil, não haveria necessidade de tantas flexões, rotações, contrações, inversões e alinhamentos. A experiência, enfim, reside muito além da palavra. A proposta de Iyengar traz algo diferente, incomunicável, intraduzível e que só pode ser desvelada pelo praticante.

B.K.S. Iyengar, um dos grandes mestres de Hatha-Yoga do nosso século, aprimorou o Yoga que aprendeu de seu mestre Krishnamacharya através de 80 anos de pesquisa e de prática intensa e ininterrupta, revolucionando a prática de asana (posturas) e pranayama (exercícios de respiração).
Nascido no sul da Índia, na cidade de Belur, Iyengar ensina Yoga desde os 18 anos. Hoje tem 90.

Para praticarmos ásana, posturas de Yoga, de maneira saudável para o corpo e eficaz no fluxo de energia, precisamos desenvolver uma conduta interior, denominada por Iyengar de “ação interna”, que favoreça uma postura correta do ponto de vista anatômico.

Cada membro, cada célula do corpo é conscientemente colocada em sua posição correta através do equilibrio entre contração e alongamento de músculos.

Este trabalho focado na qualidade da prática de posturas físicas nos leva a descobrir e conhecer camadas sempre mais profundas do corpo e dos planos de percepção ligados ao corpo. Percebemos sempre mais nitidamente o quanto o corpo está vinculado à mente e às emoções.

A concentração gerada através do esforço interior traz um foco mental chamado Ekagrata, que resulta em paz, tranquilidade e na presença em cada ato vivido.

guruji foto de B.K.S. Iyengar, hoje com 90 anos.

Uma das características principais de seu método são as instruções e correções extremamente precisas, a conscientização de segmento do corpo durante a permanência da postura.

As correções são muito importantes anatomicamente e têm conseqüências evidentes no fluxo de energia do corpo.

No Yoga segundo Iyengar ocasionalmente são usados recursos como cintos, blocos, almofadas entre outros para esclarecer processos de movimentos e também para melhorar o alinhamento, principalmente em casos de doença, ferimento, rigidez ou fraqueza.

Nas práticas de Iyengar Yoga não é feito um relaxamento depois de cada postura. Segundo Iyengar, o relaxamento não é alcançado em conseqüência de pausas entre as posturas e sim, através da habilidade de praticar uma seqüência de posturas com vigor e atenção, mantendo calma e tranqüilidade.

Assim favorecemos uma mente descansada, desperta e atenta, e podemos observar maior atenção e sensibilidade no dia-a-dia.

Enfim, a sensação que se tem ao praticar Yoga sob a égide de Iyengar é a realização na prática da filosofia ancestral do Yoga. Assim podemos afirmar que BKS Iyengar desenvolveu a prática do Yoga mantendo em seu cerne a tradição tão cara aos hindus. Seria mais adequado até afirmar que BKS Iyengar mostrou o caminho para que pudéssemos reencontrar na experiência do Yoga algo que vinha sendo apropriada e diluída em um mar de misticismo, desinformação e discursos.

O método proposto por Iyengar é árduo e exigente, tal qual o caminho que nos coloca em direção a nós mesmos, longe de ilusões, prazeres ou identificações. A introdução por Iyengar de blocos, cintos, cordas e cadeiras na prática de Yoga contempla os diferentes corpos e histórias, pelas quais passam os corpos, no espaço de uma vida; levando a todos, indistintamente, ao Yoga.

Em entrevista recente, a rede de TV CNN apresentou BKS Iyengar como uma das personalidades mais influentes no mundo de hoje. A influência exercida por Iyengar, porém, não é do tipo que surge do poder, dinheiro ou polítca, mas construída a partir do comprometimento ético, da coerência nos princípios e simplicidade que nortearam 90 anos de sua história.